Até que ponto as empresas de recolocação são confiáveis?

Consultoria 1

Antigamente, os jornais de domingo vinham “forrados” de ofertas de emprego, as pessoas levantavam cedo para comprar os jornais e procurar a oferta de emprego que estava dentro do perfil de cada um. Porém, de um tempo para cá, esta realidade mudou muito, hoje é raro empresas anunciarem nos jornais diretamente suas vagas, tanto é que os cadernos de emprego hoje em dia são cada vez menores. A grande maioria das empresas optam por divulgar suas vagas através da internet ou das empresas de recolocação.

Esta “nova” forma de contratação, tem causado inúmeras dúvidas na cabeça das pessoas que correm na maioria das vezes, desesperadamente atrás de um novo emprego, pois ao encaminhar um currículo pela internet, nunca sabemos se de fato ele chegou, que nada aconteceu de errado nas conecções, evitando a chegada deste currículo ao seu destino.

Já referente as empresas de recolocação, as reclamações são cada vez maiores, quanto a seriedade de algumas delas e a forma de conduzirem o processo seletivo.

Tenho lido e ouvido várias pessoas reclamando, pelo fato de muitas empresas cobrarem o serviço de recolocação, sendo que a maioria delas querem receber adiantado, mais uma boa parte destas pessoas estão desempregadas e não tem como dispor destas quantias que são altas naquele momento, mesmo assim, algumas chegam a pedir dinheiro emprestado para conseguir o tão sonhado e suado emprego, mais no final do contrato, nada de emprego e as vezes quase nem entrevistas são agendadas e quando são, este número é muito baixo e nada tem a ver com o perfil do candidato, isto é muito sério e precisa porque não, até ser alvo de investigações, mesmo porque, estamos indo as ruas para lutar por um país sério, mais justo, com igualdade, melhor distribuição de renda, mais saúde, educação e segurança.

Claro que temos empresas sérias que desempenham um excelente trabalho, mais infelizmente não é a maioria. Candidatos que encaminham seus currículos e nem sequer recebem uma resposta mesmo que seja negativa, isso causa um sentimento de desrespeito, causa baixa estima, podendo chegar a problemas sérios como a depressão, pelo fato de se sentirem totalmente desqualificados para o mercado de trabalho.

Muitas empresas falam que o currículo do candidato é maravilhoso, perfeito e que logo ele estará recolocado, mais não é assim tão fácil e simples. Algumas empresas chegam até a chamar o candidato dizendo que tem uma vaga, mais na verdade é para vender a recolocação, a vaga fica para segundo plano, pois às vezes nem existe, foi usado apenas como chamariz para oferecer ao candidato o serviço de recolocação.

Sem falar ainda, nas empresas que anunciam vagas através de sites de currículos pela internet, e nem sequer tem a preocupação de retornar ao candidato informando o andamento do processo, se está dentro do perfil ou não, se tem chance ou não, ou seja, falta de respeito total. Talvez por estas pessoas não saberem ainda, como é angustiante ficar desempregado e ficar aguardando uma resposta.

Partindo deste breve resumo acima, qual seriam as soluções? Para quem lê nossos posts, sabe que sempre me preocupo em colocar a minha opinião referente as soluções, ficando aberto a sugestões, pois acredito que no nosso país faltam soluções, muita gente fala de tudo e sobre tudo, mais e as soluções?

Infelizmente como não temos uma fiscalização sobre estas empresas de recolocação, vejo como soluções que as empresas ao contratarem este tipo de serviço, tenham como preocupação conhecer como funciona o recrutamento destes profissionais, e se chegarem a conclusão que está sendo feito de uma forma não convencional, descartar estas empresas. Outra solução que vejo, são os próprios candidatos denunciarem este tipo de abuso, só assim, acredito que iremos aos poucos moralizar este tipo de trabalho.

Referente as próprias empresas que abrem vagas através dos sites de currículos, peço dar retorno aos candidatos, mesmo se for para dizer que  currículo dele está fora do perfil, é ruim para o candidato ouvir isso? Pode até ser, mais pior é ficar sem saber, se sentindo desprezado pelo mercado e pelas pessoas. Claro que eu sei que o número de currículos é grande, mais é muito gratificante poder se programar para dar um retorno a estas pessoas, que anseiam por isso, mesmo que seja negativa, mais pelo menos foram consideradas no processo e digno de um retorno.

Vamos pensar nisso e criar formas de melhorar este processo, em nome do respeito ao profissional e ao ser humano, se queremos mudar o país para melhor, com clareza e transparência, sem corrupção e dignidade, vamos também fazer a nossa parte.

Obrigado,

Um grande abraço a todos.

Author: carlospires

Profissional graduado em Administração de Empresas pelo Centro Universitário da FEI e Pós Graduado em Gestão Estratégica de Pessoas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Experiência de 28 anos em atendimento ao cliente, sendo 21 anos em cargos de liderança, com forte atuação na Gestão dos Indicadores de Performance, Back-Office, Monitoria, SAC e Cobrança, atuando em empresas nacionais e multinacionais do segmento de call center e administração de cartão de crédito .
Atuação junto aos segmentos varejistas em grandes lojistas. Responsável pela gestão de pessoas, processos e clientes, atuando em áreas operacionais e comerciais, com orientação para resultado. Conhecimento na gestão e implantação de Contact Center e Comercial Pós Venda, atuando no desenvolvimento de projetos, revisões de scripts operacionais, dimensionamento, implantações de novos clientes e produtos, liderando projetos de eficiência operacional, obtendo ótimos resultados em redução de despesas. Experiência em gestão e gerenciamento de crises nas redes sociais.
Planejamento e preparação de treinamentos de atendimento, liderança, gestão e produtos. Ministrou e ministra diversos treinamentos referente aos temas acima citados.
Participação na implantação e validação no processo da ISO 9000/9001.
Palestrante no CRA-SP – A importância do atendimento ao cliente.

Share This Post On

4 Comments

  1. Caro Carlos…

    Vc abordou tudo e acho mesmo que o pessoal da captação de cv’s não está nem aí prá quem está desempregado. Venho sofrendo desse mal já algum tempo e os chavões são sempre os mesmos e por quase todos, apenas alguns são sérios como vc falou. As entrevistas sumiram e os caras alegam que não respondem pelas empresas. A CATHO que uma das maiores se não a maior, cobra tudo do coitado que está desempreagado, até o 0800 elews aboliram, o que manda mesmo é a indicação e a principal solução é ninguém mais usar esses caras, só assim esses oportunistas vão deixar de ganhar dinheiro as custas de quem está passando por esse processo. Quanto aos profissionais que são sérios, o que fazer? não concordo mais vão pagar pelos que não são: é como vc ir comprar um produto e querer pagar com cheque, o seu cheque não é aceito porque alguém em outro momento deu um cheque sem fundo. É triste mais é a nossa realidade.

    Post a Reply
  2. Concordo plenamente….

    Post a Reply
  3. Boa tarde Carlos.
    Eu vivenciei exatamente, a época citada em seu post e me usufrui várias vezes de anúncios em jornais, para busca e recolocação em novo emprego. As intermediações das “agências de empregos” também existiam e me parece que, o assunto era tratado de uma forma mais séria.
    Uma coisa é certa, com o advento da internet, o “modus operandi” mudou, em busca por soluções mais rápidas, econômicas (que nem sempre atendem aos anseios, no caso, de quem busca por um emprego ou recolocação) e que deu lugar aos “sites de emprego”, cuja forma não é novidade pois, foram adaptadas dentro das novas ferramentas oferecidas com o advento da internet. A CATHO, citada pelo Roberto Carneiro, já atuava nesse segmento. Não faço nenhum juízo direto, com relação a esta empresa pois, nunca contratei os “serviços” da mesma, até porque os valores não me eram convenientes. Posso sim, comentar o que ocorreu recentemente comigo. Contratei os serviços do site ‘Emprego Certo”, do grupo “UOL” e afirmo que foi uma decepção pois, nos três meses em que usufruí do mesmo, obtive apenas um retorno e assim mesmo, sem sucesso. É lógico que o site não assegura a sua recolocação e isso, todo usuário tem consciência mas, o que cada contratante espera, é que possa obter mais oportunidades através do serviço. Infelizmente, o tratamento dispensado não é produtivo, tendo em vista que as informações disponibilizadas (que deveriam ser diárias) nem sempre ocorrem (lógico que sub-entende-se que a contratada não gera vagas de empregos, podendo assim ocorrer de não haver ofertas) mas, são oferecidas vagas que não têm nenhuma identificação com suas pretensões (que constam do seu cadastro) e o site menciona que: “se as vagas, não estão de acordo com seu perfil, que você altere o seu curriculum”, ora isto é um verdadeiro absurdo pois, você é que deve adaptar-se a oferta do site (????) enquanto o correto é que o mesmo, trabalhe e selecione vagas dentro do seu perfil. Outro ponto negativo é que o site disponibiliza, SEM CUSTO, às “agências de emprego” o serviço, ou seja, o site cobra do desempregado, para obter informações, que antes se encontravam nos jornais, e que nem sempre têm qualidade ou proporcionam retorno. A mesma vaga é ofertada por vários meses, cabe aqui uma reflexão: será que uma empresa que busca por um colaborador, muitas vezes de necessidade urgente, pode carecer de vários meses, para preenchimento da vaga? Ou a vaga não existe, ou você não está sendo tratado de forma digna, com respeito e transparência esperados. Poderia citar outros vários pontos frágeis do serviço oferecido, neste site, porém demandaria muito espaço e não quero transformar seu “post” em janela para lamentações mas, antes sim, espero ter corroborado pois, que todos merecemos respeito e ao buscarmos novas oportunidades de emprego, ao contrario do que parece, não estamos e a disposição dos caprichos de deserviços e que visam tão somente interesses próprios.

    Post a Reply
    • Quero parabenizar pela abordagem, que retrata uma realidade de pessoas que buscam recolocação e enfrentam estas barreiras que estamos com uma economia desaquecida que produz 14 milhões de desempregados, formando grandes dificuldades naturais. E se não bastasse, o aparecimento de empresas e profissionais, irresponsáveis e desprovidos de ética e que aproveitam do desespero das pessoas que buscam empregos. Teceu muito bem os comentários. Mostramos este seu artigo agora aqui no MBA- Gestão de Pessoas e Coaching. E quero pedir autorização sua, para usá-lo em um artigo do Linkedin. Antecipadamente agradeço, Rowan.

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *